fbpx
IMPOSTO DE RENDA 2021
Imposto de Renda

Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física 2021

O prazo para entrega da Declaração de Imposto de Renda da Pessoa Física 2021 vai de 1º de março a 30 de abril de 2021.

É preciso que o contribuinte fique atento para não cair na malha fiscal por erros no preenchimento ou falta de informações.

Confira a seguir as principais novidades para 2021 e as superdicas que preparamos para facilitar sua vida nesta árdua tarefa de acerto de contas com o Leão!

Calendário de restituição do IRPF 2021

A RFB irá manter a antecipação do pagamento das restituições do IR, assim como aconteceu no ano anterior.

O primeiro lote de restituição está programado para o dia 31 de maio de 2021, com o último lote previsto para 30 de setembro de 2021. Total de 5 lotes.

Para a formação de cada lote, serão consideradas as declarações transmitidas e processadas até a data de emissão do lote, que ocorre cerca de 15 dias antes da data de pagamento.

O pagamento respeita as prioridades legais, quais sejam:

  1. idosos;
  2. portadores de deficiência física ou mental ou de moléstia grave;
  3. contribuintes cuja maior fonte de renda é o magistério têm prioridade sobre os demais contribuintes;

A data de transmissão da declaração também é considerada para definição da ordem de pagamento.

Assim, após as prioridades, recebem a restituição os contribuintes que entregaram a declaração primeiro.

Alterações importantes nos últimos anos.

> DARF das cotas a pagar: A emissão de todas as cotas a pagar agora podem ser feitas diretamente pelo programa, mesmo as que estão em atraso.

Antes era necessário acessar outros canais para cálculo e emissão dos DARFs. Porém será necessário estar conectado à internet para fazer a emissão.

> DEPENDENTES: A partir de 2019, tornou-se obrigatório informar o CPF de todos os dependentes e alimentandos de qualquer idade.

Ou seja, se você tem dependente ou alimentando, mesmo que nascido em 2020, e ainda não tem CPF,  providencie o quanto antes.

Caso contrário não será possível lançá-lo na sua declaração.

No exercício 2018 ano-base 2017, a Receita Federal já havia promovido algumas atualizações importantes no programa. São elas:

> ALÍQUOTA EFETIVA:  desde 2018 o programa demonstra o percentual efetivamente pago de IR pelo contribuinte, chamada de alíquota efetiva.

Está disponível também na página da RFB um simulador para esse cálculo.

> DECLARAÇÃO DE BENS: Com o intuito de aumentar o controle e a fiscalização, a RFB criou alguns campos complementares que serão necessários informar em alguns bens, como por exemplo:

  • Imóveis – data de aquisição, área do imóvel, registro de inscrição no órgão público e registro no Cartório de Imóveis;
  • Veículos, Aeronaves e Embarcações – Placa e número do RENAVAM e/ou registro no correspondente órgão fiscalizador;
  • Contas correntes/aplicações financeiras – número da conta, agência, banco e CNPJ da instituição financeira

> ATUALIZAÇÃO AUTOMÁTICA DO PROGRAMA: dispensa de fazer o download do programa sempre que for necessário fazer a atualização de versão.

Agora essa atualização é feita automaticamente. Além disso, não há mais necessidade de instalação separada do programa RECEITANET para envio da declaração.

O envio passa a ser feito diretamente pela plataforma da DIRPF 2021.

> INFORMAÇÃO DO NIT/PIS/NIS PARA PROFISSIONAIS LIBERAIS: essa mudança merece especial atenção, e foi promovida desde o programa do Exercício 2016.

Trata-se de uma forma do fisco cruzar as informações declaradas no carnê-leão por profissionais liberais, de rendimentos recebidos de outras pessoas físicas, com a sua contribuição para o INSS.

Com essa mudança a Receita Federal, que também controla a arrecadação do INSS, poderá cruzar essas informações e cobrar o INSS que eventualmente deixou de ser recolhido.

Sobre esta renda é obrigatório o recolhimento de 20% para a previdência social, limitado ao teto máximo de contribuição.

A título ilustrativo, se você declarou uma renda mensal superior a R$ 6.101,06 no carnê-leão durante o ano de 2020, está sujeito ao pagamento mensal de R$ 1.220,21 de contribuição para o INSS, considerando que você não possui outras fontes de renda.

Muitos contribuintes não fazem este recolhimento. Vale ressaltar que esta contribuição é compulsória.

A RFB pode cobrar estes valores com juros e multa referente aos últimos 5 anos.

Principais alterações para 2021

> A declaração do futuro!

Umas das principais novidades para este ano é a facilitação para uso da declaração pré-preenchida.

A declaração Pré-Preenchida foi disponibilizada em 2014 apenas para usuários com certificado digital.

Em 2021 o projeto piloto amplia para contribuintes que possuam conta gov.br com níveis verificado e comprovado.

Disponível exclusivamente através do serviço Meu Imposto de Renda, quando acessado pelo e-CAC.

É possível recuperar as informações no e-CAC, salvar em nuvem e continuar nos outros meios de preenchimento.

O contribuinte inicia com a declaração preenchida com diversas informações já prestadas à Receita Federal por outras fontes.

Cabe ao cidadão apenas verificar as informações, corrigindo eventuais distorções e complementando, se necessário.

São resgatadas informações da:

• Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (DIRF)

• Declaração de Informações sobre atividades Imobiliárias (DIMOB);

• Declaração de Serviços Médicos (DMED).

A previsão de liberação desta funcionalidade é 25 de março de 2021.

Auxílio Emergencial

Quem recebeu auxílio emergencial em 2020 para enfrentamento da emergência de saúde pública causada pelo Coronavírus Covid-19, em qualquer valor, e outros rendimentos tributáveis em valor anual superior a R$ 22.847,76 também está obrigado a entregar a declaração de IR em 2021.

Os valores recebidos a título de Auxílio Emergencial são considerados rendimentos tributáveis e devem ser declarados como tal na ficha Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica.

O contribuinte que tenha recebido rendimentos tributáveis em valor superior a R$ 22.847,76 no ano-calendário 2020, deve devolver os valores recebidos do Auxílio Emergencial, por ele e seus dependentes, conforme estabelece o § 2º-B do art. 2º da Lei nº 13.982, de 2020.

Saiba como fazer a devolução dos valores aqui.

Espólio – Sobrepartilha

A partir da Declaração do exercício 2021 é possível enviar a informação de Sobrepartilha sem a necessidade de retificar a Final de Espólio da Partilha enviada anteriormente.

Para isso, na Ficha Espólio, deve-se marcar que se trata de uma Sobrepartilha.

Quais documentos você vai precisar?

Nesta época de declaração, organização é fundamental. Confira este checklist que criamos para te ajudar a não esquecer de nada:

a) Última declaração de IR entregue, para te ajudar a conferir os bens informados, se houver.

b) Informe de rendimento de TODAS as fontes pagadoras de 2020;

c) Informe de rendimentos de todos os bancos que possuir conta, poupança ou investimentos em 2020 (podem ser emitidos pelo caixa eletrônico, atendimento na agência ou internet banking);

d) Nome, CPF e data de nascimento de todos os dependentes: pais, avós, filhos ou enteados (até 21 anos ou até 24 anos se estiver na faculdade ou sem limite de idade se for incapaz), netos (somente com guarda judicial) e cônjuge;

e) Recibos e documentos de compra e venda de bens adquiridos/vendidos em 2020:  localize o documento oficial da transação, como: recibo, nota fiscal, promessa de compra venda, escritura, etc;

f) Recibos ou notas fiscais das seguintes despesas pagas em 2020 (inclusive dos dependentes): médicos (fisioterapeutas, dentistas, psicólogos etc.), exames, consultas, faculdade, colégio, pós-graduação, creche, planos de saúde, previdência privada, etc;

g) Até o exercício 2019: Nome, CPF, NIT e total pago no ano de 2018 às empregadas domésticas, motoristas particulares, jardineiros etc. que tiveram CTPS assinada em 2018.

Veja aqui nosso post sobre como utilizar esta dedução.  ATENÇÃO: A partir do exercício 2020 essa dedução foi extinta por falta de previsão legal.

Como saber todas as fontes pagadoras na DIRPF 2021?

Quem teve mais de uma fonte pagadora no ano-base da declaração, é fundamental ter certeza de que todas as fontes sejam declaradas.

Para alguns contribuintes com várias fontes, é comum esquecer uma ou outra, pois nem sempre todas  as empresas enviam os comprovantes de rendimentos.

O contribuinte acaba esquecendo e caindo na malha fiscal por omissão de receita.

Isto é muito comum, por exemplo, com médicos e profissionais que prestam serviços a diversas empresas ao longo do ano.

Existem algumas maneiras de fazer esta verificação. Uma delas é utilizando a declaração pré-preenchida.

Outra forma é utilizando o seu certificado digital e-CPF, que, entre outras comodidades, permite que você consulte todas as fontes pagadoras direto pelo portal do  e-CAC.

Você pode também outorgar uma procuração eletrônica para alguém que já possua um certificado digital , como o contador que faz sua declaração, por exemplo.

Lembre-se de que é preciso ter uma relação de confiança com este profissional e que as informações são protegidas por sigilo fiscal.

Por fim, você pode consultar o processamento posterior ao envio, através do código de acesso e senha pelo portal do e-CAC.

Se a RFB detectar que houve omissão de alguma fonte pagadora ou algum outro problema, sua declaração ficará com status “pendente” e você poderá consultara a pendência e retificá-la, se for o caso, antes de ser intimado.

Como deduzir despesas com saúde sem o recibo?

É muito comum o contribuinte esquecer de pegar os recibos com despesas médicas pagas durante o ano. Consultas médicas, exames, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, etc.

Muitos profissionais se recusam a fornecer esses recibos retroativamente, por diversos motivos.

Porém, saiba que você pode deduzir estas despesas mesmo sem o recibo, desde que possa comprovar o pagamento e utilização do serviço, caso a fiscalização da Receita Federal solicite.

Então aí vai uma superdica: pague estas despesas sempre com cartão de crédito/débito, cheque nominal ou transferência bancária, especialmente as que possuem valores mais elevados.

É necessário que este pagamento seja feito diretamente à empresa ou profissional o qual está sendo informada a dedução, com a devida identificação.

Assim você pode usar estas deduções na sua declaração, mesmo sem os recibos.

Como saber se você está na malha fina antes de ser intimado?

É muito importante fazer o acompanhamento do processamento da sua declaração.

Acessando o portal do e-CAC, via código de acesso ou certificado digital, é possível consultar o processamento e corrigir eventuais problemas.

Caso a RFB identifique alguma divergência de informação na sua declaração, como por exemplo a omissão de fontes pagadores, ela colocará sua declaração com status “pendente” e você poderá verificar qual é o problema.

Se houve erro, basta retificar a declaração e corrigi-lo. Mas eventualmente sua declaração pode ir para malha fiscal, mesmo sem ter havido erro.

É o caso, por exemplo, quando há deduções com saúde de valores elevados, e a fiscalização solicita a comprovação documental de tal dedução.

Caso o contribuinte não se antecipe e leve os documentos, a fiscalização irá intimá-lo a fazê-lo após um certo tempo de espera.

Se o contribuinte não cumprir a intimação no prazo requerido, terá os valores glosados, com recálculo e cobrança do imposto que deixou de ser pago, acrescido de multa de ofício (75% do imposto) e juros.

Uso de e-mail e Número de Celular

O endereço de e-mail e o número de celular informados na ficha de identificação poderão ser utilizados pela Receita Federal do Brasil para informar a existência de mensagens
importantes em sua Caixa Postal.

Acesse sua Caixa Postal no Portal e-Cac por meio do endereço <gov.br/receitafederal> e consulte as mensagens para manter-se informado.

Atenção! A Receita Federal não envia e-mails solicitando o fornecimento de suas informações fiscais, bancárias e cadastrais, fora deste ambiente certificado.

É fundamental que o contribuinte informe-se e, se for o caso, procure ajuda de profissionais especializados, que trarão economia e segurança para sua declaração.

Dúvidas sobre seu imposto de renda?  Entre em contato conosco. Atendimento para todo o Brasil.

Quando se trata de informações sigilosas, profissionalismo e confiança são fundamentais. Confira aqui o depoimento dos nossos clientes.

Até a próxima!

Por Moysés Dario Alves

CEO, Dario & Alves Contabilidade e RH



Teste agora por 30 dias gratuitamente e avalie.
Assine nossa newsletter para receber nossos conteúdos diretamente
no seu e-mail sem nenhum custo, e fique por dentro das nossas dicas!